quinta-feira, 16 de novembro de 2017

A NOITE DA ESPERA - MILTON HATOUM / LANÇAMENTO


Diálogo Entre Amigos

Aurélio: - A Noite no Beirute vai ser uma Noite de Encontros Esperados. 

Angélica: - Não é? Vai ser de arromba!


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

TORQUATO NETO - TODAS AS HORAS DO FIM


Assistir ao filme-doc "Torquato Neto - Todas as Horas do Fim" de Eduardo Ades e Marcus Fernando, foi um prazer...numa viagem as intimidades deste poeta que marcou toda a geração que se identificava com a força criativa do Tropicalismo. 


O doc consegue com uma rigorosa pesquisa pinçar no acervo pessoal e familiar instantes da sua escrita como dos seus registros de filmes & nos levar ao encontro do poeta. 

Torquato Neto, sem dúvida encarnou a dilacerante existência de quem ousava pensar livre-mente ao meio da paranóia e falta de perspectivas imposta pela ditadura. Nós que ainda frequentávamos o colégio, vivíamos um confronto entre multi-escolhas, em debates acaloradas se discutia gostar ou não, optar por este (a) ou aquele (a)...Ironicamente era um tempo que tínhamos uma multidão de geniais artistas: The Beatles ou The Rolling Stones? Yoko Ono ou The Beatles? Jimi Hendrix ou Jimi Page ou Jeff Back ou Eric Clapton? No Brasil...Gilberto Gil, Caetano Veloso ou Chico Buarque? Cinema Novo ou Cinema Marginal? Gal Costa ou Maria Bethania ou Elis Regina? Desbundados ou Caretas? 

Existia veredas que nos apontava noutras direções... surpresas, por exemplo - a fleuma da cantora Nara Leão. O apetite era tão enorme, mas tão desmesurada, tampouco se corria o risco de errar, sim, por que qualquer das opções eram simplesmente geniais. E era justamente isso que nos fazia conseguir respirar naquele aflitivo ambiente de repressão. 

O poeta Torquato Neto foi açodado por essa agonia, justamente naquele ano aonde a repressão física se mostrava implacável e muitos dos melhores se encontravam no exílio... "Um poeta desfolha a bandeira/E eu me sinto melhor colorido/Pego um jato, viajo, arrebento/Com o roteiro do sexto sentido/Voz do morro, pilão de concreto/Tropicália, bananas ao vento."

Em novembro de 1972, o poeta Torquato Neto (1944-1972), abriu o gás do fogão e partiu, foi logo depois que John Lennon já havia lançado sua música ícone daquele tempo: "GOD" - The Dream is Over/ O Sonho Acabou.

domingo, 12 de novembro de 2017

BYE BYE CERRADO por MARCELO LEITE


Amazonia? Mata Atlântica? Não, é o Cerrado que está indo pro saco e com ele mais de 4.800 espécies de plantas e animais típicos deste bioma. 

Brasília, sem chuvas sofre com desabastecimento dos reservatórios de água. 

Este é apenas um dos péssimos sinais.

FolhaSP, 12/11/2017

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

A UnB E OS DOIS CANDANGOS: DARCY RIBEIRO E ANISIO TEIXEIRA


Aonde estiverem Darcy Ribeiro e Anisio Teixeira devem sorrir despudoradamente...


A UnB-Universidade de Brasília, criada por eles, desde que foi implantado o sistema de cotas ( 2003), o numero de estudantes de graduação que se declaram negros (pretos ou pardos) cresceu, hoje, chegam a representar 50,6% dos alunos matriculados no 2º semestre de 2017. 

E pensar que não existia no projeto original da Capital Federal, a idéia de uma universidade pública e gratuita. A igreja católica fazia lobby pela implantação da PUC, privada e paga. Mas, esta dupla de educadores reagiram e conseguiram que o presidente João Goulart, finalmente criasse a UnB, em 1962. 

Auditório Dois Candangos, o nome deste espaço homenageia os pedreiros Expedito Xavier Gomes e Gedelmar Marques, que morreram soterrados em um acidente durante as obras. Mas bem que poderia ser, também, uma homenagem à estes dois mestres, dois candangos da educação.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

UM CLUBE DE SENHORES & RAPAZES


Caso dependesse desses sujeitos não haveria FAMÍLIA. 


Eles fazem votos de castidade e amor incondicional a Nossa Senhora e ao Plinio Corrêa de Oliveira, fundador e ideólogo da TFP - tradição, família e propriedade. 

Um clube exclusivo de senhores & rapazes.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

TIM MAIA JÁ SABIA DE TUDO



Tim Maia já dizia: 
"Este país não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita". E só piora...

ACRESCENTE-SE: Manifestantes contra as artes nunca foram numa exposição, não costumam assistir filme brasileiro, não leram um livro sequer e de religião só conhecem de ouvir falar sobre "Jesus". Bate-panela para aprovar reformas que extinguem as conquistas trabalhistas e apóiam, mesmo que envergonhados, um governo rejeitado por 70% da população. 

Mas afinal...Quem são essas criaturas?

OS DEGENERADOS GOLPISTAS



O rebotalho que fez opção pelo conceito nazista de "arte degenerada", talvez, não saibam quais artistas que o totalitarismo queriam banir: 


Lasar Segal, Picasso, Gauguin, Paul Klee, Chagal, George Grosz, El Lissitzky, Max Ernst, Modrian, Klint entre outras centenas de artistas. 
Com essa ação de propaganda, os nazistas queriam impedir qualquer voz de oposição e estas vinham do campo das artes, da literatura, da intelectualidade acadêmica universitária, era preciso calar, prender...matá-los.

CEUVAGEM

"Livre-pensar é só pensar"

www.tudoporamoraocinema.com.br

Minha foto
Nasceu em Manaus-AM. Cursou o Instituto de Artes e Arquitetura-UnB(73). Artes Cênicas - Parque Lage,RJ(77/78). Trabalha há mais de vinte anos em projetos autorais,dirigindo filmes documentários: "TUDO POR AMOR AO CINEMA" (2014),"O Cineasta da Selva"(97),"Via Látex, brasiliensis"(2013), "Encontro dos Sabores-no Rio Negro"(08),"Higienópolis"(06),"Que Viva Glauber!"(91),"Guaraná, Olho de Gente"(82),"A Arvore da Fortuna"(92),"A Agonia do Mogno" (92), "Lina Bo Bardi"(93),"Davi contra Golias"(94), "O Brasil Grande e os Índios Gigantes"(95),"O Sangue da Terra"(83),"Arquitetura do Lugar"(2000),"Teatro Amazonas"(02),"Gráfica Utópica"(03), "O Sangue da Terra" (1983/84), "Guaraná, Olho de Gente" (1981-1982), "Via Láctea, Dialética - do Terceiro Mundo Para o Terceiro Milênio" (1981) entre outros. Saiba mais: "O Cinema da Retomada", Lucia Nagib-Editora 34, 2002. "Memórias Inapagáveis - Um olhar histórico no Acervo Videobrasil/ Unerasable Memories - A historic Look at the Videobrasil Collection"-Org.: Agustín Pérez Rubío. Ed. Sesc São Paulo: Videobrasil, SP, 2014, pág.: 140-151 by Cristiana Tejo.