quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

MAMBO JAMBO - CUBA, CHE, FIDEL







MAMBO JAMBO ou MAMBO JUNGLE
é um filme que venho tentando realizar faz quase dez anos, não foi por causa dos recursos necessarios, mas ao contrario, como é baseado em fatos reais, não gostaria de conta-la com subterfúgios, como vivesse numa ditadura onde os artistas se veem obrigados a recorrer a metaforas. Neste caso, o que aconteceu foi a atitude sectaria dos personagens reais, eles não me autorizaram cita-los, mesmo que a versão cinematográfica passasse por meandros que somente a criatividade dos roteiristas é capaz de fazer.

Escrevo sobre esse projeto aproveitando a saída de cena, depois de 49 anos no poder, daquele que representa para várias gerações, um mito: FIDEL CASTRO. Ele foi responsavel por mexer com a cabeça de muitos jovens, encorajando-os a defender com armas nas mãos o direito por se conquistar o poder quando este apresenta-se contaminado pelas injustiças, corrupção e o derespeito aos direitos dos cidadãos.
A revolução cubana, em 1959, depois de uma guerra de guerrilha, acabou por expulsar daquela ilha do Caribe um dos ditadores mais cruéis - Fulgêncio Batista. Mais "um ditador" não é êle mesmo, apenas representa um arco de interesses, neste caso, este apenas fazia-se valer dos direitos absolutos do capital norte-americano. Toda essa história acontece no momento em que o mundo dividia-se entre a opção capitalista ou comunista - a guerra fria.

CUBA, FIDEL E CHE representam significados transformadores do século XX, aqueles que ousaram desafiar a arrogancia e soberbia do país mais poderoso do mundo e este, ressentido para não aparecer acuada e humilhado, recorreu a antiga estratégia de cercear o direito do convivio comunitário, submeteu a ilha rebelde-revolucionária num cruel embargo econômico.

Obstinadamente Cuba sobreviveu ao embargo, traições, invasões, conspirações (muitas delas tão engraçadas que pareciam ter saido da cabeça dos Irmãos Marx, por exemplo, introduzir um produto quimico que fizessem cair os cabelos e as barbas rebeldes de Fidel).

Ao longo destes quase meio século, a utopia revolucionária cubana, foi sofrendo revezes, antigos aliados abandonaram a solidariedade, assim tambem aqueles que não concordavam o regime cubano-castrista eram presos ou fugiam, exilando-se principalmente em Miami. Por sua proximidade entre a ilha e o continente, esta cidade norte-americana transformou-se numa ponta de lança da contra-propaganda, um ninho de conspiradores, muitos deles por oportunismo aliaram-se aqueles que perderam seus privilégios com a vitória da revolução. Houve um tempo que o governo cubano decidiu (sabe lá porquê - macho men?) punir aqueles que faziam a sua opção sexual.
Cuba mais uma vez, sobreviveu ao cerco do neo liberalismo, ao fim da guerra fria, da URSS e do muro de Berlim. Mesmo que os ideiais revolucionários sobrevivam na excelencia da saúde e da educação, insatisfeitos com essas conquistas, muitos cubanos tranformaram-se em engenhosos construtores de balsas improvisadas para enfrentar o mar e alcançar Miami. Diante destes fatos qualquer mudança deverá passar por uma engenhosa politica de re-concialiações somado aos interesses da comunidade européia, sobretudo da Espanha.

Cuba é uma utopia? Os jovens rebeldes barbudos, Fidel, Che, Camilo, Raul e uma legião de outros combatentes, acreditaram que poderiam transformar esse país, por mais pequeno que fosse, sem os arrobos daqueles que a exploravam. Lembram-se daquela cena no filme "O poderoso chefão" (The Godfather,1972. dir. F.F.Coppola), quando a mafia norte-americana dominava a ilha de Cuba, ao comemorarem o aniversario de um deles, cortam o bolo, as fatias representava o pedaço da ilha a quem pertenceria a exploração. A hipocrisia continua, hoje no mundo pouca gente dá bola ao comunismo, venceu "a escravidão do débito", neste sentido Cuba como país tenha pouco haver, mas a sua simbologia é uma sombra sobre a ilegalidade das prisões e torturas praticadas pelo Governo Bush, em Guatânamo - na ilha de Cuba.

A utopia da revolução cubana que contagiou o mundo, e em particular a America Latina, não foram apenas alguns que se transformaram em discipulos, tal foi o seu carisma, mais uma vez resiste aos tempos das desilusões e o fora de moda da palavra "revolucionário" que varreu os anos 60/70. Esta saída "à cubana" de Fidel Castro, ele que envelheceu como a propria metafora da "revolução", sai de cena para que Cuba renove as esperanças transformadoras e ele mesmo possa reafirmar:
"Podem me condenar. Não importa. A história me absolverá". (1)
Na próxima postagem, deste blog, colocarei a sinopse/argumento/ trecho do roteiro MAMBO JAMBO - projeto de filme longa metragem ficção, sobre um grupo de jovens amazonenses que entre os anos 1966/1967 resolveram implantar um "fóco guerrilheiro" em plena selva amzonica - Rio Negro.
(1) Trecho do discurso de Fidel Castro, em 1953, quando se encontrava preso pelo ataque ao quartel de Moncada, numa primeira tentativa para acabar com ditadura de Fulgencio Batista.








2 comentários:

SENSOCOMUM disse...

Aurélio
Sou irmão do Osiris, que me passou o seu blog. Fiquei interessado em colocar você em contato com um amigo do Ceará (onde cursei Medicina), de nome Pedro Albuquerque, que sobreviveu à Gurrilha do Araguaia, o que lhe valeu a alcunha de Pedro Araguaia. Creio que você já ouviu falar dele; Hoje ele vive no Canadá e tem um enorme interesse literário, humanista, político e cultural nas coisas do nosso Brasil.
Acredito que será proveitoso para ambos esta aproximação.Seu e-mail é: dealbuquerqueneto.pedro@gmail.com
Vou também passar ao Pedro o Link do seu Blog, para que ele possa conhecer o seu trabalho.
Parabens pelo interesse e precisão das informações
Saudações caboclas
Horlando

AURÉLIO MICHILES disse...

Caro Horlando,
Agradeço as gentis palavras sobre a postagem do Blog Ceuvagem, eh consequencia do ativo esquecimento sobre os fatos q compoem a nossa história, ao menos aquelas as quais conhecemos.
Agradeço pelo contato com o Pedro Albuquerque, com certeza entrarei em contato com ele, apesar de não conhecê-lo.
auélio

"Livre-pensar é só pensar"

www.tudoporamoraocinema.com.br

Minha foto
Nasceu em Manaus-AM. Cursou o Instituto de Artes e Arquitetura-UnB(73). Artes Cênicas - Parque Lage,RJ(77/78). Trabalha há mais de vinte anos em projetos autorais,dirigindo filmes documentários: "TUDO POR AMOR AO CINEMA" (2014),"O Cineasta da Selva"(97),"Via Látex, brasiliensis"(2013), "Encontro dos Sabores-no Rio Negro"(08),"Higienópolis"(06),"Que Viva Glauber!"(91),"Guaraná, Olho de Gente"(82),"A Arvore da Fortuna"(92),"A Agonia do Mogno" (92), "Lina Bo Bardi"(93),"Davi contra Golias"(94), "O Brasil Grande e os Índios Gigantes"(95),"O Sangue da Terra"(83),"Arquitetura do Lugar"(2000),"Teatro Amazonas"(02),"Gráfica Utópica"(03), "O Sangue da Terra" (1983/84), "Guaraná, Olho de Gente" (1981-1982), "Via Láctea, Dialética - do Terceiro Mundo Para o Terceiro Milênio" (1981) entre outros. Saiba mais: "O Cinema da Retomada", Lucia Nagib-Editora 34, 2002. "Memórias Inapagáveis - Um olhar histórico no Acervo Videobrasil/ Unerasable Memories - A historic Look at the Videobrasil Collection"-Org.: Agustín Pérez Rubío. Ed. Sesc São Paulo: Videobrasil, SP, 2014, pág.: 140-151 by Cristiana Tejo.