quinta-feira, 10 de agosto de 2017

MOSSA BILDNER, MULTIARTISTA DO MUNDO

Mossa Bildner se foi...não está fácil celebrar a memória dos amigos. 

Multiartista como a própria ViDA. 

Ecumênica, desejou que fosse cremada e na sua mortalha estivesse a bandeira do Estado de Israel e da Palestina. 

Judia, mas também seguidora do candomblé, budismo ou não-crenças. 

Tinha a música como farol, Nova York e o Brasil como norte. Por algum mistério passou os últimos anos em Curitiba e aí virou estrela-cósmica.


"Eu AMO TUDO o que foi,/ Tudo o que já não é,/ A dor que já me não dói,/ A antiga e errônea fé,/ O ontem que dor deixou,/ O que foi deixou alegria/ Só porque foi, e voou/ E hoje é já outro dia." Fernando Pessoa

Nenhum comentário:

"Livre-pensar é só pensar"

www.tudoporamoraocinema.com.br

Minha foto
Nasceu em Manaus-AM. Cursou o Instituto de Artes e Arquitetura-UnB(73). Artes Cênicas - Parque Lage,RJ(77/78). Trabalha há mais de vinte anos em projetos autorais,dirigindo filmes documentários: "TUDO POR AMOR AO CINEMA" (2014),"O Cineasta da Selva"(97),"Via Látex, brasiliensis"(2013), "Encontro dos Sabores-no Rio Negro"(08),"Higienópolis"(06),"Que Viva Glauber!"(91),"Guaraná, Olho de Gente"(82),"A Arvore da Fortuna"(92),"A Agonia do Mogno" (92), "Lina Bo Bardi"(93),"Davi contra Golias"(94), "O Brasil Grande e os Índios Gigantes"(95),"O Sangue da Terra"(83),"Arquitetura do Lugar"(2000),"Teatro Amazonas"(02),"Gráfica Utópica"(03), "O Sangue da Terra" (1983/84), "Guaraná, Olho de Gente" (1981-1982), "Via Láctea, Dialética - do Terceiro Mundo Para o Terceiro Milênio" (1981) entre outros. Saiba mais: "O Cinema da Retomada", Lucia Nagib-Editora 34, 2002. "Memórias Inapagáveis - Um olhar histórico no Acervo Videobrasil/ Unerasable Memories - A historic Look at the Videobrasil Collection"-Org.: Agustín Pérez Rubío. Ed. Sesc São Paulo: Videobrasil, SP, 2014, pág.: 140-151 by Cristiana Tejo.