sábado, 29 de dezembro de 2007

BETH MICHILES, PRA SEMPRE




Beth, minha irmã, escreveu essa carta no último dia de 2006.

Sete meses depois, no dia 30 de julho de 2007, ela partiu.

Nesta carta, ela revela um sentimento positivo quando nos encontramos diante do "paredão", no limite do impossível e mesmo assim continuamos a procurar a contemplação plena do horizonte. Neste jogo que disputamos desde quando somos originados, perseguidos por perguntas e indagações sobre o destino da nossa existência, portanto sobre Deus, Diabo, Vida e Morte sobre os quais o cineasta Ingmar Bergman soube como poucos transformar num filme - "O SÉTIMO SELO"/ Det Sjunde Inseglet, 1957.


Beth migrou da floresta para as montanhas, do rio para o mar, mas agora ela se encontra, quem sabe, numa viagem muito particular entre o espaço infinito das não-fronteiras físicas e espirituais. O seu legado em nossa memória será o que plantou e colheu em vida:

"Cuidar das pessoas e acreditar que as plantas trazem a cura de todos nossos males."

Esse sentimento só engrandece-lhe, transformando a dra. Beth na mais nova e eterna variedade da flora amazônica, o lugar de onde um dia partiu, porem sem nunca ter esquecido-o.

Beth, com todo o amor e afeto daqueles que te amam, pra sempre.

Um ano depois de teres escrito essa mensagem pela vida.


“RIO DE JANEIRO, 31 DE DEZEMBRO DE 2006.

ESTA CARTA É DE AGRADECIMENTO A TODAS AS SITUAÇÕES POSITIVAS VIVIDAS POR MIM, AS QUAIS RELATO-AS ABAIXO:

AGRADEÇO A SAÚDE FÍSICA QUE SEMPRE TIVE E QUE ME AUXILIARÁ NA RECUPERAÇÃO RÁPIDA DA DOENÇA QUE ORA ME ATINGE.

AGRADEÇO TAMBEM PELA MINHA APARÊNCIA JOVIAL QUE NÃO REVELA A VERDADEIRA IDADE CRONÓLOGICA.

AGRADEÇO POR TER MEU CORPO PERFEITO E SER UMA PESSOA SEM VÍCIOS OU DESEQUILÍBRIOS DE QUALQUER ORDEM.

AGRADEÇO POR SER UMA PESSOA OTIMISTA, POR ESPERAR SEMPRE O MELHOR DA VIDA, MINHA E DOS OUTROS.

AGRADEÇO POR SER COMPROMETIDA COM OS VALORES ÉTICOS.

AGRADEÇO POR TER UM CORAÇÃO DE SENTIMENTOS POSITIVOS COMO A GENEROSIDADE E A COMPAIXÃO; POR BUSCAR CULTIVAR NO CORAÇÃO O AMOR INCONDICIONAL PELO OUTRO, SEM QUERER RECOMPENSAS OU RECONHECIMENTO PELO QUE FAÇO DE BEM PARA O PRÓXIMO. POR QUERER LIBERTAR O MEU CORAÇÃO DE TODAS OS SENTIMENTOS NEGATIVOS.

AGRADEÇO POR HOJE RECONHECER COMO POSITIVO TER ESCOLHIDO A MINHA FAMÍLIA PARA VIVER ESTA VIDA, POIS A SUPERAÇÃO DAS QUESTÕES COMPLEXAS ADVINDAS DESSE NÚCLEO FAMILIAR TEM FEITO COM QUE EU BUSQUE O CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO – EVOLUÇÃO ESPIRITUAL.

AGRADEÇO TER SIDO INSPIRADA A ESCOLHER A CIDADE DO RIO DE JANEIRO PARA VIVER, ONDE FIZ MUITOS AMIGOS E DESENVOLVI A MINHA APTIDÃO PROFISSIONAL. AGRADEÇO TER NASCIDO NO BRASIL, PAÍS ONDE A NATUREZA É GENEROSA E O POVO BUSCA A FELICIDADE NAS COISAS SIMPLES.

FINALMENTE AGRADEÇO PELOS PAIS IRMÃOS E IRMÃS QUE TENHO, POIS TODOS SÃO GENEROSOS E NÃO HESITAM EM AUXILIAR SEMPRE QUE UM DOS IRMÃOS NECESSITA.

AGRADEÇO AINDA A ATUAÇÃO DOS ELEMENTOS QUE TRABALHAM PELO EQUILÍBRIO DE TODOS OS SERES VIVOS DESTE PLANETA – A NOSSA CASA.

SINCERAMENTE"

MARIA ELIZABETH DE OLIVEIRA MICHILES

4 comentários:

ruiva disse...

Oi, Aurélio!

Muito triste e chocada, acabo de saber da morte da Beth, em 2007. Não me lembro se nos vimos antes, mas conhecia vc de nome e acho que vc teve algum contato com minha irmã, Dilma. Estudei com a Beth na Escola de Saúde Pública - bons tempos - e éramos muito amigas nessa época. Foi um tempo de grande companheirismo entre os colegas que deixou laços muito fortes entre todos. Embora a gente tenha se afastado, a ligação permanecia. Cheguei da rua, hoje, abri o email com um convite para um Congresso em fitoterapia, estranhei a falta da Beth na organização e estranhei mais ainda quando li sobre uma homenagem à ela. Fui direto para a internet e aqui estou, triste e sentida por não ter participado de nada. Liguei para duas outras amigas que souberam na época. Fica o desabafo da minha tristeza e sentimento de perda. Coincidentemente, acabo de chegar de um mercado popular cheia de plantas e mudas, entre elas, um pequeno pé de pimenteira. Tenho uns pingentes que sempre me acompanham e, quando coloquei a mão no no bolso, foi a pimenta que se soltou dos outros. Entendi como um toque da Beth, da sua presença. Ela que gostava de me chamar "Matos Lóes" devia estar dizendo: "que é isso, Matos Lóes, não está me vendo?" E esse toque, é claro, tinha que ser com uma planta...
Ela faleceu no dia 30 de junho? Quanto tempo entre o diagnóstico do melanoma e a morte?
Beijos,
Tania Lóes
06/06/2009

AURÉLIO MICHILES disse...

Tania, foi muito rápido menos de um ano, e ela como acreditava no poder da cura pelas plantas ainda tentou colocar em pratica essa crença, nem deu tempo em recorrer aos métodos tradicionais da medicina alopata. Como vc tbm creio que ela se encontra nesses lugares aonde as pessoas buscam algum contato verdadeiro com as plantas - isto é AMOR.

regina zamarioli disse...

Aurelio Beth foi minha melhor amiga quando morei no Rio de 83 a91 praticMente acabei de saber de seu falecimento (20 dias) pois me mudei do Rio em 92 e a ultima vez que falei com Beth por telefone foi em 97.Estou literalmente em estado de choque , entrei na internet hä 1 mes e pouco e uma das primeiras coisas que fiz quando entrei no facebook foi pricurar a Beth, achei estranho nao ter resultado.Nao tive mais nenhum contato com as nossas amigas de época, foi e estä sendo um verdadeiro choque pra mim.Eu te conheci na casa da Beth, era uma lourinha que trabalhava na Globo.Tenho rezado muito por ela, não tenho palavras.Meca.

AURÉLIO MICHILES disse...

Regina, obrigado pelas comovidas palavras...realmente a ausência da Beth é ainda um mistério...nós aceitamos, mas não compreendemos. Um grande abraço. Aurelio

"Livre-pensar é só pensar"

www.tudoporamoraocinema.com.br

Minha foto
Nasceu em Manaus-AM. Cursou o Instituto de Artes e Arquitetura-UnB(73). Artes Cênicas - Parque Lage,RJ(77/78). Trabalha há mais de vinte anos em projetos autorais,dirigindo filmes documentários: "TUDO POR AMOR AO CINEMA" (2014),"O Cineasta da Selva"(97),"Via Látex, brasiliensis"(2013), "Encontro dos Sabores-no Rio Negro"(08),"Higienópolis"(06),"Que Viva Glauber!"(91),"Guaraná, Olho de Gente"(82),"A Arvore da Fortuna"(92),"A Agonia do Mogno" (92), "Lina Bo Bardi"(93),"Davi contra Golias"(94), "O Brasil Grande e os Índios Gigantes"(95),"O Sangue da Terra"(83),"Arquitetura do Lugar"(2000),"Teatro Amazonas"(02),"Gráfica Utópica"(03), "O Sangue da Terra" (1983/84), "Guaraná, Olho de Gente" (1981-1982), "Via Láctea, Dialética - do Terceiro Mundo Para o Terceiro Milênio" (1981) entre outros. Saiba mais: "O Cinema da Retomada", Lucia Nagib-Editora 34, 2002. "Memórias Inapagáveis - Um olhar histórico no Acervo Videobrasil/ Unerasable Memories - A historic Look at the Videobrasil Collection"-Org.: Agustín Pérez Rubío. Ed. Sesc São Paulo: Videobrasil, SP, 2014, pág.: 140-151 by Cristiana Tejo.